INSCRIÇÃO: 00815
 
CATEGORIA: PT
 
MODALIDADE: PT11
 
TÍTULO: “Arado de Garfo” - O alimento do campo à mesa
 
AUTORES: matheus botelhobraga (Universidade Federal do Pará); Lorena ESTEVES (Universidade Federal do Pará); Maria Luísa de Moraes PEREIRA (Universidade Federal do Pará); Monique IGREJA (Universidade Federal do Pará)
 
PALAVRAS-CHAVE:  agroecologia, alimentação orgânica, internet, webjornalismo,
 
RESUMO
O website Arado de Garfo é um produto do Laboratório de Jornalismo Digital e Novas Mídias, do curso de Comunicação Social habilitação Jornalismo, da Universidade Federal do Pará. O objetivo central do website é dialogar com as propostas sustentáveis de produzir e comercializar comida por meio do webjornalismo. Foram utilizados textos, fotos, vídeos, gifs e um infográfico, com entrevistas à pessoas que trabalham com alimentos, do plantio à cozinha, da colheita à comercialização.
 
INTRODUÇÃO
O Arado de Garfo é um website desenvolvido na disciplina Jornalismo Digital e Novas Mídias. Voltado para a temática da agroecologia e gastronomia sustentável, foi idealizado e construído sob as perspectivas da potencialidade que a web oferece para publicar e gerenciar conteúdos. Desse modo, foram explorados vários recursos multimídia para explicar ao leitor os processos pelo qual o alimento sofre até chegar em nossas mesas, bem como, quais conceitos da agricultura estão envolvidos neste processo. De acordo com Barbosa (2007), são elementos característicos do jornalismo digital a interatividade, a hipertextualidade, a multimidialidade, a personalização, a atualização contínua e em fluxo e a memória ou arquivamento. A autora explica que: [...]os diversos tipos de websites jornalísticos (edições digitais de jornais, revistas, emissoras de TV, agências de notícias, portais, portais regionais, e, mais recentemente os blogs) vão experimentando narrativas diferenciadas, nas quais o uso de recursos hipertextuais - como o link -, associados ao áudio, ao vídeo, à fotografia, aos gráficos animados para a redação das informações auxilia na construção e na consolidação de uma linguagem para essa modalidade, que passa a ter nos usuários (ou no público) importantes colaboradores para a formulação dos conteúdos dentro de uma estrutura já descentralizada. (BARBOSA, 2007, p. 128). O Arado de Garfo, sendo um website, foi pensado para atender um público que não estude de forma aprofundada o assunto, já que o mesmo é importante, porém denso. Assim, as narrativas multimídia foram utilizadas como forma de aproximar esse leitor do conteúdo, tendo-os, segundo Barbosa (2007), como colaboradores. Buscou-se explorar a multimidialidade ao máximo, com o intuito de destrinchar o tema, desdobrando-o em textos, fotos, vídeos e gifs produzidos pelos estudantes, além de links também apurados pela equipe do website para diversificar e ampliar os conhecimentos oferecidos sobre o assunto tratado.
 
OBJETIVO
A produção e comercialização de produtos orgânicos é assegurada no Brasil pela Lei 10.831, criada em 23 de dezembro de 2003 e regulamentada em 27 de dezembro de 2007. O texto da lei diz: Considera-se sistema orgânico de produção agropecuária todo aquele em que se adotam técnicas específicas, mediante a otimização do uso dos recursos naturais e socioeconômicos disponíveis e o respeito à integridade cultural das comunidades rurais, tendo por objetivo a sustentabilidade econômica e ecológica, a maximização dos benefícios sociais, a minimização da dependência de energia não-renovável, empregando, sempre que possível, métodos culturais, biológicos e mecânicos, em contraposição ao uso de materiais sintéticos, a eliminação do uso de organismos geneticamente modificados e radiações ionizantes, em qualquer fase do processo de produção, processamento, armazenamento, distribuição e comercialização, e a proteção do meio ambiente." (PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA - CASA CIVIL) Contudo, o que se vê hoje é um domínio da alimentação industrializada, a mais encontrada em supermercados e outros pontos de venda. Já os produtos orgânicos vendidos nas feiras, apesar de terem seu público fiel, também esbarram na convenção que se criou acerca dessa cultura de alimentação saudável que vem crescendo nos últimos tempos. O objetivo deste trabalho é contribuir para o debate público acerca das formas de produção de alimento, pois há um discurso de que é impossível ou muito difícil manter uma dieta somente à base de alimentos orgânicos, devido ao preço um pouco mais caro e à dedicação maior ao preparo, já que muitos dos alimentos industrializados já vêm prontos ou pré-cozidos. Portanto, ao trazer informações sobre os conceitos e as formas de produção orgânica, o website Arado de Garfo, busca ampliar essa discussão, trazendo outros pontos de vista.
 
JUSTIFICATIVA
Para Jenkins (2009), a circulação de conteúdos feita por meio de diferentes sistemas midiáticos, depende fortemente da participação ativa dos consumidores, já que estes têm o comportamento migratório e "vão a quase qualquer parte em busca das experiências de entretenimento que desejam" (JENKINS, 2009, p.29). Por isso, é imprescindível adotar estratégias que os engajem e maximize o capital social, buscando na interação a fidelidade do público. Em Barbosa (2001), a interatividade é uma ferramenta fundamental do webjornalismo. Os leitores não são apenas telespectadores, e esse contato próximo e direto fideliza o público. Essa interação próxima é possibilitada pelo Arado de Garfo por meio do espaço para comentários do leitor sempre ao final de cada página no website e da fanpage do Facebook (https://www.facebook.com/aradodegarfo/?fref=ts) como mídia auxiliar do website, além do canal no Youtube (https://www.youtube.com/channel/UCq_GaGJ91tXfi2dYiX7VJ0w), onde são postados os vídeos do website. Ao criar um website, temos a dimensão do que a Internet representa para o jornalismo na atualidade. Canavilhas (2006) destaca o espaço e os recursos oferecidos por essa ferramenta. [...] o espaço disponível num webjornal deixa de ser finito, anulando a necessidade de escrever condicionado pela possibilidade do editor poder efetuar cortes no texto para o encaixar num determinado espaço. Por outro lado, o hipertexto permite ao utilizador definir os percursos de leitura em função dos seus interesses pessoais pelo que a redação da notícia deve ter em conta esse fator (CANAVILHAS, 2006, p. 23). O hipertexto citado pelo autor foi um dos recursos utilizados no website como forma de acrescentar informações ao conteúdo das matérias e infográfico. Como o assunto abordado é mais extenso do que a temática dos subprodutos (texto e infográfico abordam mais a alternativa do que o problema em si, que é o agronegócio), os hiperlinks são indispensáveis para contextualizar o leitor das problemáticas e de porque é necessário se educar sobre a agricultura e a divisão de terras. O tema abordado pelo Arado de Garfo foi escolhido por causa disso: é necessária a divulgação de informação sobre a agroecologia como alternativa à indústria alimentícia e a exploração agrária. Segundo o Ministério do Desenvolvimento Agrário, em torno de 70% dos alimentos consumidos no Brasil são produzidos pela agricultura familiar - de acordo com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO-ONU), agricultura familiar é "produção agrícola, florestal, pesqueira, pastoril e aquícola que é predominantemente dependente de mão-de-obra familiar". Como exemplo, é possível citar a produção de milho, que de acordo com Altieri (2010, p. 25) "são aproximadamente de 2 toneladas por hectare ou aproximadamente 4.320.692 calorias, suficientes para cobrir as necessidades anuais de comida de uma família típica de 5 a 7 pessoas". O mito de que as agriculturas sustentáveis não poderiam resolver o problema da fome mundial precisa ser desconstruído através da informação. À vista disso, o grupo procurou evidenciar, por meio deste trabalho, a importância de fomentar o debate e a opinião pública.
 
MÉTODOS E TÉCNICAS UTILIZADOS
O Arado de Garfo foi criado na plataforma de criação de websites Wix, utilizando o template "Tipo Diva!", oferecido pelo seu próprio acervo. Para personalizar o tema, foram criados a marca do website e um Background com a utilização do programa vetorial Illustrator CS6, da Adobe System. Para compor o conteúdo do website, foram produzidos textos, fotos, vídeos, gifs e um infográfico, sempre utilizando de cada formato o melhor recurso para expor a temática da agroecologia e da gastronomia sustentável. A utilização de diversas mídias proporcionou uma melhor recepção da mensagem, pois cada foto, vídeo, Gif e texto, se completava e proporcionava ao leitor uma compreensão mais completa dos processos que o alimento passa até chegar à mesa, além da explicitação e diferenciação dos conceitos que englobam tais processos. Este procedimento de utilizar várias mídias é definido por Jenkins (2008) como convergência. Por convergência refiro-me ao fluxo de conteúdos através de múltiplos suportes midiáticos, à cooperação entre múltiplos mercados midiáticos e ao comportamento migratório dos públicos dos meios de comunicação, que vão a quase qualquer parte em busca das experiências de entretenimento que desejam. (JENKINS, 2009, p.27). Os formatos citados foram armazenados em plataformas diferentes, como o Phhhoto, aplicativo que registra imagens em movimento num loop contínuo, onde os Gifs foram produzidos. Somente os textos e as fotos ficaram armazenados diretamente no website, hospedado na plataforma Wix. As plataformas foram escolhidas por serem gratuitas, por se interligarem, e, principalmente, por serem fáceis de manusear, tornando mais simples o trabalho de postagens realizado pelo grupo. Para realizar as entrevistas em vídeo, foram utilizados uma câmera, um microfone e um gravador, todos disponibilizados pela Faculdade de Comunicação da Universidade Federal do Pará (Facom-UFPA).
 
DESCRIÇÃO DO PRODUTO OU PROCESSO
A identidade visual do website, o logotipo e o background, foi construída fazendo alusão a um dos principais processos na preparação da terra para o plantio, o arado, que se assemelha ao trabalho do garfo no prato, mexendo na comida (Imagem 1). A barra na parte superior contém as abas Início, Quem Faz, Conhecer, Plantar e Comer, com sistemas de retornos e interações com o usuário, em uma plataforma de design simples e de fácil consulta (Imagem 2). A aba Início permite ao leitor voltar à página principal do blog que contém informações da proposta do Arado de Garfo e a aba Quem Faz apresenta os integrantes do grupo com uma foto de cada e um breve perfil. Conhecer contém um infográfico que explicita e diferencia alguns conceitos que acompanham as discussões sobre agriculturas sustentáveis, fazendo alusão à colheita, ou seja, colher o conhecimento (Imagem 3). Plantar abriga os vídeos produzidos pela equipe do website com as pessoas que trabalham com alimentos, do plantio à cozinha, da colheita à comercialização. Comer comporta uma matéria sobre o ciclo de produção do alimento, onde comer é o destino final, com pesquisadores e ativistas/empreendedores que pesquisam e trabalham com o alimento para além das caixas e latas dos produtos industrializados. Contato é o espaço onde o leitor pode interagir com a equipe do website, mandando sugestões ou críticas. Multimidialidade O website Arado de Garfo tem como um dos elementos do Jornalismo na web a multimidialidade, ou seja, a linguagem multimídia integrando, de uma só vez, plataformas como texto, imagem e infográfico. Desde o início dos trabalhos no website, a intenção de utilizar este recurso estava clara, já que a multimidialidade ajuda a complementar as informações que o texto escrito, somente, não permite. Dessa forma, o conteúdo publicado no website mescla texto com fotos e Gifs, além de um infográfico e vídeos, postados diretamente no nosso canal no youtube, e posteriormente no site. A linguagem do audiovisual dentro do website Arado de Garfo aproxima o público da vida de dois personagens importantes, que falam de sua relação com a agricultura. Para isso, decidimos produzir três vídeos com duração de 4 minutos para mostrar em cada vídeo uma temática referente ao nosso produto, elas são: compostagem, horta e feira orgânica na praça. Interatividade O comentário no final do post é a maneira mais simples de interação oferecida por muitas plataformas de blog e sites, constituindo-se como um espaço para os leitores trocarem opiniões, links e iniciarem um debate sobre o que acabaram de ler. O comentário é uma ótima ferramenta para fidelizar o leitor. Plug-ins de compartilhamento também são ferramentas interessantes para proporcionar interação. "A interação representa um processo sempre comunicacional. A interação é, portanto, aquela ação que tem um reflexo comunicativo entre o indivíduo e seus pares como reflexo social" (RECUERO, 2009, p. 31). Para Schwingel (2012), alguns aspectos identificam o grau de participação do usuário na construção de conteúdos jornalísticos, tais como a interação entre o público e as ferramentas e do conteúdo com o próprio conteúdo. Ferramentas como enquetes, espaços para comentários, fóruns e envio de artigos, dentre outras, aproximam o usuário da produção de informações. No processo de produção do website, a divulgação na mídia social Facebook foi fundamental, pois potencializou o conteúdo produzido por meio da circulação. As redes também possibilitam um enorme espaço de interação entre os leitores e os administradores do website. Para Recuero (2009), esses indivíduos são denominados como atores, o primeiro elemento da rede social: Trata-se das pessoas envolvidas na rede que se analisa. Como partes do sistema, os atores atuam de forma a moldar as estruturas sociais, através da interação e da constituição de laços sociais. (...). Um ator, assim pode ser representado por um weblog, por um fotolog, por um twitter ou mesmo por um perfil no Orkut. E, mesmo assim, essas ferramentas podem apresentar um único nó (como um weblog, por exemplo) que é mantido por vários atores (um grupo de atores do mesmo blog coletivo). (RECUERO, 2009, p. 25). Dessa forma, por meio do website e dos sites de redes sociais, a produção do conteúdo intentou a divulgação dos conceitos a respeito da agroecologia e dos serviços como as feiras de alimentos orgânicos e de projetos, como o Toró Gastronomia Sustentável, que mostram que é possível comer orgânicos de forma acessível.
 
CONSIDERAÇÕES
A partir do processo de construção do website e produção das matérias, foi constatada a possibilidade de união entre a teoria aprendida em sala de aula com a prática, em um meio multimidiático como a internet. Além de que este trabalho permitiu aos alunos um contato mais próximo com agricultores e especialistas que explicaram a importância desse tipo de produção de alimentos, o que buscou-se ressaltar em cada foto, vídeo, texto e gif deste website, cumprindo a função social do jornalismo e com o princípio da informação como bem público. O Arado de Garfo nasce no momento em que a internet oferece a possibilidade de gerenciar conteúdos de forma mais democrática, levando à sociedade informações sobre agroecologia, gastronomia sustentável, sem cair nos estereótipos próprios da grande mídia. Portanto, trata-se de um espaço alternativo em que a interatividade é fundamental para construção e compartilhamento de conhecimento sobre o assunto.
 
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁICAS
ALTIERI, M. Agroecologia, agricultura camponesa e soberania alimentar. Revista NERA. ano 13, n.16. Presidente Prudente: NERA, 2010. pp.22-23.

BARBOSA, Suzana. Sistematizando conceitos e características sobre o jornalismo digital em base de dados. In: Jornalismo Digital de Terceira Geração. Universidade da Beira Interior, Livros Labcom, 2007. Disponível em: . Acesso em 27/03/2017

BARBOSA, Elisabete. Interactividade: A grande promessa do Jornalismo Online. 2001

CANAVILHAS, João. Webjornalismo: da pirâmide invertida à pirâmide deitada. Portugal: Universidade da Beira Interior, 2006.

JENKINS, Henry. Cultura da Convergência. São Paulo: Aleph, 2009.

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA - CASA CIVIL. Disponível em: . Acesso em: 29/03/2017.

RECUERO, Raquel. Redes sociais na internet. Porto Alegre: Sulina, 2009.

SCHWINGEL, Carla. Ciberjornalismo. São Paulo: Paulinas, 2012.