MATRIZes abre chamada de artigos para número especial sobre a vertente Mattelart

10 de dezembro de 2019

A revista MATRIZes, publicação quadrimestral vinculada à PPGCOM da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), está com submissões abertas até o dia 30 de junho de 2020 para edição especial (setembro-dezembro de 2020) dedicada ao pensamento comunicacional de Armand e Michèle Mattelart.

O número será editado pelos pesquisadores A. Efendy Maldonado (Unisinos) e Roseli Figaro (ECA-USP). Os textos podem ser escritos em português, inglês, espanhol ou francês, e os autores devem ter titulação mínima de doutorado.

Normas da publicação e submissões no site da revista.

EMENTA
A vertente de pensamento e investigação crítica em comunicação articulada por Armand e Michèle Mattelart é um dos principais referentes de produção de conhecimento estratégico na área, no contexto latino-americano e mundial. Essa linha de pensamento tem se distinguido por sua fortaleza transdisciplinar para formular problemas/objeto de pesquisa teórica e por sua consistência e abertura metodológica para combinar estratégias e procedimentos de investigação, que confluem para o esclarecimento de conjuntos de problemas importantes para as ciências da comunicação.

Na dimensão epistemológica, a vertente Mattelart tem sido um referente de reflexão e de crítica – sistemática e profunda – a respeito dos modelos metodológicos e teóricos hegemônicos na área (positivismo, funcionalismo, formalismo, instrumentalismo, tecnicismo). Nessa mesma ordem, suas argumentações a favor do pensamento crítico latino-americano, reconhecido por eles por sua riqueza filosófica, política, ética e estética, têm contribuído para questionar de modo estratégico o logocentrismo euro-estadunidense. Nessa perspectiva, seu trabalho epistemológico tem sido crucial para problematizar as lógicas, as premissas, as culturas acadêmicas e os comportamentos político-comunicacionais das esquerdas; nessa orientação, são paradigmáticas suas análises sobre os casos dos governos Allende, Mitterrand e sobre as “políticas” de governos de esquerda na América Latina e no mundo. Também, nessa dimensão, é esclarecedora sua crítica ao culturalismo politicamente correto, que restringiu expressivamente o pensamento sobre cultura/comunicação a partir da década de 1980.

A dimensão teórica tem sido trabalhada com singular dedicação pelos Mattelart. É assim que suas pesquisas nessa ordem oferecem sistematizações valiosas para interpretar, compreender, conhecer e problematizar as diversas tendências, correntes, modelos, propostas e argumentações que têm tido relevância no trabalho de formação teórica das instituições e comunidades acadêmicas da Europa, dos Estados Unidos e da América Latina.

Na dimensão metodológica, a vertente Mattelart, durante suas seis décadas de trabalho na área, tem explorado, formulado, experimentado e produzido combinações fecundas e consistentes de investigação crítica. Cabe destacar as pesquisas sobre sistemas transnacionais de poder hegemônico; as investigações sobre as coberturas da imprensa liberal no Chile de Allende; as pesquisas sobre os gêneros populares na América Latina (quadrinhos, fotonovela e telenovela); as investigações sobre as lógicas econômico-políticas dos sistemas midiáticos; as pesquisas teóricas sobre os principais paradigmas no campo das ciências em comunicação; as investigações sobre aspectos-chave do mundo comunicacional internacional (telemática, publicidade, telecomunicações, digitalização, vigilância, controle); e as pesquisas históricas sobre a constituição da comunicação-mundo na modernidade. Nesse conjunto complexo, prima uma epistemologia histórica de ruptura e continuidade, articulada de maneira estratégica a partir do pensamento crítico de Marx, combinando-o com as contribuições das filosofias dialéticas, existenciais, heurísticas e hermenêuticas críticas, atualizadas no século XX e em inícios do século XXI.

Para o Brasil e para América Latina, dada a relevância e a potência crítica da vertente Mattelart, é importante atualizar e dar a conhecer às novas gerações aspectos problematizadores cruciais para a pesquisa da área, que podem ser fortalecidos em diálogo e confrontação com os Mattelart. Um número especial de MATRIZes sobre esse referente contribuirá para o trabalho de excelência que a revista vem realizando no campo.

De forma indicativa, mas não restritiva, sugerimos os seguintes aspectos a explorar:
– Contribuições da abordagem teórico-metodológica da vertente de pensamento

dos Mattelart.
– O pensamento comunicacional crítico latino-americano e a contribuição da vertente Mattelart.
– A comunicação-mundo como aspecto da epistemologia histórica de ruptura e continuidade da vertente Mattelart.
– A investigação crítica e o pensamento comunicacional estratégico na comunicação, conforme a vertente Mattelart.
– A vertente Mattelart e a análise crítica dos governos de esquerda na América Latina.
– Os sistemas transacionais de comunicação, poder e democracia na América Latina na perspectiva da vertente Mattelart.
– A investigação crítica da vertente Mattelart na comunicação e os gêneros populares (quadrinhos, telenovela, fotonovela, séries) na América Latina.

intercom BRIGADEIRO

SÃO PAULO - SP
(11) 3892 7558
AV. BRIG. LUIS ANTÔNIO, 2.050 - CONJ. 36- BELA VISTA
SECRETARIA@INTERCOM.ORG.BR



Horário de atendimento:
Segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13 às 17h