INTERCOM ENCERRA CURSO SOBRE COMUNICAÇÃO, RAÇA E RACISMO

24 de novembro de 2021

A Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom) concluiu na última quinta-feira, 18 de novembro, o curso on-line "Comunicação, Raça e Racismo: questões conceituais e agendas de pesquisa", iniciado no dia 20 de outubro e que contou com a participação de 25 pesquisadores e pesquisadoras de universidades públicas e privadas de 12 estados brasileiros.

Com quatro módulos temáticos, o curso abordou conceitos e referenciais para pesquisas em Comunicação, além de explorar possibilidades de agendas de pesquisa. "O curso foi também uma oportunidade de encontro e partilha entre pesquisadoras e pesquisadores negras e negros, de diferentes partes do país e com diversos graus acadêmicos", afirma o professor Paulo Victor Melo, coordenador do curso, salientando o feedback positivo dos(as) cursistas sobre a qualidade dos docentes, as referências teóricas e a metodologia do curso, que possibilitou a participação ativa nas aulas.

Ao longo de quatro semanas, os participantes tiveram quatro aulas síncronas ministradas por Zulu Araújo, diretor-geral da Fundação Pedro Calmon (SecultBA); Tâmara Terso, pesquisadora do Centro de Estudos e Pesquisas em Análise do Discurso e Mídia (CEPAD) e do Centro de Comunicação, Democracia e Cidadania (CCDC), ambos da UFBA; Zilda Martins, fundadora e uma das coordenadoras do Grupo de Estudos Muniz Sodré sobre Relações Raciais (GEMS), da UFRJ; e Tarcízio Silva, Tech + Society Fellow (2020-2022) na Fundação Mozilla, pesquisador e fundador do projeto editorial Desvelar. Além das aulas síncronas, os(as) cursistas tiveram acesso a atividades assíncronas e participaram de uma mesa de encerramento.

"Um dos aspectos mais discutidos durante o curso foi a necessidade de ações pautadas por aquilo que Abdias do Nascimento qualificou como quilombismo, um conceito histórico-científico-social que fala sobre a codificação e sistematização das experiências e perspectivas de futuro por nós mesmos. Neste sentido, o curso revelou-se como um ambiente em que negras e negros se articularam e trocaram conhecimentos e referenciais afrocentrados sobre comunicação, informação e tecnologias, algo que é necessário enquanto resposta quilombista ao epistemicídio das contribuições da intelectualidade negra e indígena", avalia o Paulo Victor Melo. "Para pesquisadores e pesquisadoras que investigam temas relacionados à questão racial, especialmente os que estão iniciando sua trajetória acadêmica, muitas vezes faltam referenciais afrocentrados, visto que, tradicionalmente, a universidade privilegia o conhecimento eurocentrado. Por isso, ao terem contato com diferentes literaturas de autoras e autores negras, negros e indígenas, que estão há décadas formulando teorias e conceitos sobre comunicação, os(as) participantes certamente têm novas perspectivas para as pesquisas que desenvolvem", explica o coordenador.

Para quem perdeu o curso, mas tem interesse em se aprofundar nessa literatura e buscar desenvolver pesquisas sob uma nova perspectiva, Melo generosamente compartilha a bibliografia básica do curso. Confira:

MÓDULO 1 – RACISMO ESTRUTURAL E COMUNICAÇÃO

SILVEIRA, Renato da. Os Selvagens e a massa: papel do racismo científico na montagem da hegemonia ocidental. Revista Afro-Ásia, v. 23, p. 87-144. 1999. Disponível em https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/3660/1/afroasia_n23_p89.pdf

FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Tradução de Renato da Silveira. Salvador: EDUFBA, 2008. Disponível em https://www.geledes.org.br/wp-content/uploads/2014/05/Frantz_Fanon_Pele_negra_mascaras_brancas.pdf

ALMEIDA, Silvio Luiz de. Racismo estrutural. Coleção Feminismos Plurais (coordenação de Djamila Ribeiro). São Paulo: Sueli Carneiro; Pólen, 2019. Disponível em https://blogs.uninassau.edu.br/sites/blogs.uninassau.edu.br/files/anexo/racismo_estrutural_feminismos_-_silvio_luiz_de_almeida.pdf

GOMES, Wilson. A retórica da exclusividade racista dos brancos. 2021. Texto disponível em https://revistacult.uol.com.br/home/retorica-da-exclusividade-racista-dos-brancos/

SCHUCMAN, Lia Vainer. Fui acusada de manipular o conceito de racismo por denunciar sua relação com estruturas de poder. 2021. Texto disponível em https://www.geledes.org.br/fui-acusada-de-manipular-o-conceito-de-racismo-por-denunciar-sua-relacao-com-estruturas-de-poder/


MÓDULO 2 – POLÍTICAS DE COMUNICAÇÃO, DEMOCRACIA, RAÇA E RACISMO

LOPES, Ivonete; MELO, Paulo Victor. Raça e Racismo nos estudos em Economia Política da Comunicação: da resistência à construção de uma agenda de pesquisa. Revista Eptic, v. 22, nº 3, set-dez 2020, p. 122-138.
Disponível em https://seer.ufs.br/index.php/eptic/article/view/13890/10966

MIELKE, Ana Claudia. Comunicação e Racismo Estrutural. 2020. Texto disponível em https://diplomatique.org.br/comunicacao-e-racismo-estrutural/

LOPES, Ivonete. Mídia Negra e Desigualdade na Estrutura Midiática: apontamentos sobre Brasil e Estados Unidos. Anagramas Rumbos y Sentidos de la Comunicación, 19 (39), jul-dez 2021, p. 223-242.
Disponível em https://revistas.udem.edu.co/index.php/anagramas/article/view/3596

INTERVOZES; CONAQ; MMTR-NE. Mapeamento Territórios Livres, Tecnologias Livres. Disponível em http://territorioslivres.online/

Àkesán - Pretos Comunicadores. Documentário. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=-exUXfQC4bE

BORARI, Vândria; NÓBREGA, Camila. Uma visão, um mundo. Então, de quem é esse mundo? 2020.
Texto disponível em https://www.goethe.de/prj/one/en/net/22075567.html

FERREIRA, Giovandro; de OLIVEIRA SAMPAIO, Adriano; de MOURA, Clarissa Viana Matos; LOPES, Nilton (orgs.). A construção da violência na TV e em Jornais impressos da Bahia. Salvador: UFBA, 2012. Disponível em
https://drive.google.com/file/d/1pFLTOURbZxaobSVbmpzK3cpxdbTrJSnR/view

Podcast Ondas da Resistência. Episódio 3 – Internet e Desigualdades no Brasil. Disponível em http://ondasdaresistencia.org/podcast-2/


MÓDULO 3 – COMUNICAÇÃO COMUNITÁRIA, POPULAR E ANTIRRACISMO

PAIVA, Raquel. Política de Minorias: comunidade e cidadania. Agora.Net #3, 2005. Disponível em http://www.labcom.ubi.pt/files/agoranet/03/paiva-raquel-politica-de-minorias.pdf.

SANTIAGO, Raull. As vidas nas favelas importam. Sur 26, 2017. Disponível em
https://sur.conectas.org/wp-content/uploads/2017/12/sur-26-portugues-raull-santiago.pdf.

AMARAL FILHO, Nemézio. As perigosas fronteiras da “comunidade”: um desafio à comunicação comunitária. Nemézio Amaral Filho, 2009. Disponível em https://www.researchgate.net/publication/267715076_As_perigosas_fronteiras_da_comunidade_um_desafio_a_Comunicacao_Comunitaria.

TERSO, Tâmara; MELO, Paulo Victor. Comunicação popular e comunitária salvam vidas durante a pandemia. Diplomatique, 2021. Disponível em
https://diplomatique.org.br/comunicacao-popular-e-comunitaria-salvam-vidas-durante-pandemia/.

NÚCLEO PIRATININGA DE COMUNICAÇÃO. Comunicação Popular no Rio: Quem faz, 2015, (22 min): https://www.youtube.com/watch?v=sSSFvoZzwdQ.

PAIVA, Raquel. Novas formas de comunitarismo no cenário da visibilidade total: a comunidade do afeto. São Paulo, USP, Revista Matrizes.2012. Disponível em https://www.revistas.usp.br/matrizes/article/view/48050/51806.

PERUZZO, Cicilia. Conceitos de comunicação popular, alternativa e comunitária revisitados e as reelaborações do setor. EcoPós, 2009. Disponível em https://revistaecopos.eco.ufrj.br/eco_pos/article/view/947/887.

AZEVEDO, Lídia; MARTINS, Zilda. Política de morte: a mira certeira sem comoção social. Revista Mosaico, 2019. Disponível em https://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/mosaico/article/view/81085/77441.


MÓDULO 4 – TECNOLOGIAS DIGITAIS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO & RACISMO ALGORÍTMICO

NOBLE, Safiya Umoja; ROBERTS, Sarah T. Elites tecnológicas, meritocracia e mitos pós raciais no Vale do Silício. Fronteiras-estudos midiáticos, v. 22, n. 1, 2020. Disponível em
http://revistas.unisinos.br/index.php/fronteiras/article/view/fem.2020.221.04

SILVA, Tarcízio. Visão Computacional e Racismo Algorítmico: Branquitude e Opacidade no Aprendizado de Máquina. Revista ABPN, v. 12, p. 428-448, 2020. Disponível em https://abpnrevista.org.br/index.php/site/article/view/744

LIMA, Dulcilei C.; OLIVEIRA, Taís. Negras in tech: apropriação de tecnologias por mulheres negras como estratégias de resistência. Cadernos Pagu, 59, 2021. Disponível em https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8664487

BENJAMIN, Ruha. Retomando nosso fôlego: Estudos de Ciência e Tecnologia, Teoria Racial Crítica e a imaginação carcerária. In: SILVA, Tarcizio (org.). Comunidades, Algoritmos e Ativismos: olhares afrodiaspóricos. São Paulo: LiteraRUA, 2020. Disponível em http://bit.ly/ebookcomunidades2ed_

FIELD, Anjalie et al. A Survey of Race, Racism, and Anti-Racism in NLP. Association for Computational Linguistics, 2021. Disponível em https://arxiv.org/abs/2106.11410

HAMILTON, Amber M. A genealogy of critical race and digital studies: Past, present, and future. Sociology of Race and Ethnicity, v. 6, n. 3, 2020. Disponível em https://journals.sagepub.com/doi/abs/10.1177/2332649220922577

NOBLE, Safiya Umoja. Algorithms of oppression. New York University Press, 2018. Resenha em
https://tarciziosilva.com.br/blog/algoritmos-de-opressao-como-mecanismos-de-busca-reforcam-o-racismo

SILVA, Tarcízio. Teoria Racial Crítica e Comunicação Digital: conexões contra a dupla opacidade. In: POLIVANOV, B.; ARAÚJO, W.; OLIVEIRA, C. C. G; SILVA, T. (orgs.). Fluxos em redes sociotécnicas: das micronarrativas ao big data. São Paulo: Intercom, 2019.
Disponível em https://www.ibpad.com.br/wp-content/uploads/2019/12/fluxos-em-redes-sociotecnicas.pdf

intercom BRIGADEIRO

SÃO PAULO - SP
(11) 3892 7557
AV. BRIG. LUIS ANTÔNIO, 2.050 - CONJ. 36- BELA VISTA
SECRETARIA@INTERCOM.ORG.BR



Horário de atendimento:
Segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13 às 17h