EM ANO DE RESISTÊNCIA, INTERCOM CELEBROU PAULO FREIRE

22 de dezembro de 2021

"Comunicação e resistência: práticas de liberdade para a cidadania" foi o tema que guiou a Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom) em 2021. Sob os auspícios do educador Paulo Freire, cujo centenário de nascimento foi celebrado neste ano, a entidade enfrentou mais um ano de desafios econômicos, políticos, sociais e sanitários, realizando eventos e cursos na modalidade virtual – nossa forma de resistir, consolidando a defesa do campo científico da Comunicação e a proteção das pessoas nele engajadas.

O ponto alto foi o 44º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação (Intercom 2021), de 4 a 9 de outubro. Pelo segundo ano consecutivo, o congresso nacional foi realizado 100% virtualmente, agora com organização da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), no Recife de Paulo Freire e Luiz Beltrão. "O simples fato de o congresso ter ocorrido já é motivo de comemoração. Sua realização neste contexto absolutamente adverso é mais uma demonstração da histórica capacidade de resistir e avançar das pesquisadoras e dos pesquisadores da Comunicação. Com isso, honramos a história de tantos que nos antecederam, aqueles que já se foram e os que estão conosco nessa trincheira que é fazer ciência no Brasil. O Intercom 2021 contribuiu, assim, para manter viva a produção e a circulação de conhecimento, para promover encontros, mesmo que remotamente, e reafirmar nossos laços de solidariedade e afeto", afirma Juliano Domingues (Unicap), vice-presidente da Intercom e coordenador da organização do congresso. "Reafirmamos, ainda, a presença de Paulo Freire e aquilo que sua obra representa para o campo da Comunicação, sobretudo no atual contexto político brasileiro. Entendemos que, em termos políticos, esse posicionamento é mais do que necessário, é urgente. E a Intercom cumpriu seu papel, tendo o Recife, terra de Freire e palco de tantas lutas e movimentos, como sede. Isso tem um significado muito especial para todos nós", completa.

O desafio foi grande. No primeiro dia do congresso, uma pane global em sites e aplicativos de mídias sociais gerou apreensão. "Além disso, tivemos – e continuamos a ter – problemas com o sistema, o que era esperado. São quase 3 mil congressistas e centenas de trabalhos. A gestão dessas informações e o fluxo dessa comunicação não são algo simples, muito pelo contrário. Mas a comunidade pode acreditar no compromisso de toda a Diretoria e do corpo técnico da Intercom na busca diária de soluções", destaca o professor Juliano.

O empenho de funcionários, fornecedores, parceiros e centenas de voluntários garantiu um congresso bem-sucedido, que levou à casa de cada participante dezenas de mesas e palestras em encontros, fóruns e colóquios, 48 oficinas e minicursos, apresentação de 895 trabalhos nos Grupos de Pesquisa (GPs) e outros 456 no Intercom Júnior (IJ) e lançamento de 82 títulos no Publicom. "Com a valiosa parceria da Unicap, mais uma vez fizemos um grande evento em plataforma on-line, com a participação de milhares de professores, pesquisadores, estudantes de graduação e pós-graduação e profissionais de mercado. Em um ano desafiador, com restrições de toda natureza para a pesquisa e a divulgação da ciência, tivemos a submissão de mais de mil artigos, de pesquisadores tanto sêniores quanto juniores. Esta segunda experiência na realização de um grande evento virtual nos ensinou a contornar falhas e buscar o aprimoramento, com o objetivo de qualificar cada vez mais os nossos congressos nacionais", avalia Nair Prata (Ufop), diretora Científica da Intercom.

Visite o perfil do Intercom 2021 no Instagram para relembrar os momentos mais marcantes e acesse a página de notícias no site oficial para conferir a cobertura feita pelos estudantes de Jornalismo da Unicap.

REGIONAIS E EXPOCOM

Dois meses antes do congresso nacional, o II Encontro Inter-regiões Intercom substituiu mais uma vez os cinco congressos regionais da Intercom, com cerca de 2.500 pessoas inscritas. Mantendo a modalidade virtual, o evento reconfigurou a programação com base na experiência de 2020: o período das atividades foi condensado em cinco dias, com mesas temáticas ou palestras à tarde e as festas das etapas regionais do Expocom à noite.

O tema central da Intercom em 2021 deu o tom das palestras de abertura e encerramento, respectivamente com Manuela D'Ávila (Instituto E Se Fosse Você) e Daniela Arbex. “As convidadas, ambas jornalistas, trataram do tema central sob o viés da desinformação: Manuela mostrou como esse problema tem crescido e atingido não só as pessoas individualmente, mas toda a sociedade; e Daniela fez o contraponto, indicando o jornalismo e a comunicação de qualidade como o caminho para combater a desinformação”, comenta a professora Ariane Pereira (Unicentro), diretora Cultural da Intercom e coordenadora do Inter-regiões. E, nas mesas, pesquisadores e docentes de todas as regiões garantiram a pluralidade de visões nos debates.

O ápice do Inter-regiões foi o prêmio Expocom, com 1.106 trabalhos concorrentes nas cinco regiões. As festas, assim como a palestra de abertura com Manuela D'Ávila e o Fórum Ensicom, foram transmitidas ao vivo pelo YouTube da Intercom. E as comemorações dos vencedores e das vencedoras podem ser conferidas nos Destaques do perfil da Intercom no Instagram.

CÁTEDRA INTERCOM
Projeto criado pela Cátedra em Comunicação e Informação Intercom – José Marques de Melo no início da pandemia, as Lives Cátedra Intercom evidenciaram o grande potencial desse formato e foram ampliadas em 2021.

A partir do tema central "Comunicação e resistência: práticas de liberdade para a cidadania", a segunda temporada da série foi realizada entre 20 de abril e 22 de junho, com 19 sessões transmitidas ao vivo na plataforma Zoom para o público inscrito e pela página da Intercom no Facebook para o público geral. Assim como no ano passado, a maioria (17) das lives foi coordenada por Grupos de Pesquisa (GPs) da Intercom, garantindo a diversidade de temáticas e abordagens.

A segunda temporada desdobrou-se em três produtos: um e-book, intitulado "Resistências Compartilhadas: Comunicação, Liberdade e Cidadania"; uma playlist no canal da Intercom no YouTube, com acesso livre e gratuito; e uma série especial no podcast PapoCom, por meio de uma parceria com o PráxisJor, grupo de pesquisa vinculado ao Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade Federal do Ceará (PPGCOM/UFC).

Já a terceira temporada foi realizada de 18 de outubro a 1º de dezembro, trazendo bate-papos com pessoas e entidades premiadas pela Intercom em 2021. "Foram 14 lives em que os premiados puderam apresentar suas pesquisas e discutir métodos e práticas de investigação", salienta Nair Prata, que coordena as Lives Cátedra Intercom ao lado de Sônia Jaconi (IEA-USP) e Rodrigo Gabrioti (Athon), respectivamente diretora e diretor adjunto de Projetos da Intercom. E, mais uma vez, os GPs da Intercom colaboraram ativamente nessa temporada, organizando as sessões com vencedores dos Prêmios Estudantis. As sessões serão disponibilizadas em breve no YouTube, mas já podem ser conferidas no Facebook e no podcast PapoCom.

"A receptividade do público às Lives Cátedra Intercom tem mostrado que há espaço para a realização deste tipo de evento, que alia a qualidade de conteúdo com a facilidade de participação que o virtual permite. No ano que vem, pretendemos dar continuidade tanto à série para discutir o tema do congresso quanto aos encontros com os premiados", comenta a professora Nair.

Além das duas temporadas de lives, outra iniciativa da Cátedra Intercom foi a criação da Rede Latino-Americana de Cátedras e Observatórios de Comunicação e Informação, Cultura e Desenvolvimento Social. "O objetivo da Rede é ampliar e aprofundar a reflexão sobre temas relacionados à Comunicação como um direito humano fundamental e discutir a importância da participação da sociedade civil nas definições globais sobre o acesso e a produção do conhecimento e da informação de qualidade, em especial as proposições mundiais defendidas pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e pela Organização das Nações Unidas (ONU) no plano de ação da Agenda 2030", explica a diretora Científica da Intercom. "E avançamos ainda mais: na reunião plenária de encerramento do 1º Encontro da Rede Latino-Americana de Cátedras e Observatórios de Comunicação e Informação, Cultura e Desenvolvimento Social, os participantes aprovaram por unanimidade a 'Carta Cidadã (AL21) – Comunicação para liberdade, democracia, cidadania e bem-viver', uma declaração de que a exclusão social, agravada pelo não acesso amplo e plural à educação restringe ainda mais o direito fundamental à comunicação, em especial a produção de conteúdos por parte dos distintos grupos sociais. Trata-se de um importante documento, assinado por 27 cátedras e observatórios", conta.

CURSOS INTERCOM

Os cursos on-line são outro projeto criado pela Intercom em 2020 que foi ampliado neste ano. Após o sucesso do curso “Metodologias de Pesquisa em Comunicação”, no segundo semestre do ano passado, a comunidade de pesquisadores, pesquisadoras, estudantes e profissionais da Comunicação tiveram mais duas oportunidades de formação em 2021: “Pesquisa em Comunicação: projetos, escrita e divulgação científica” e “Comunicação, Raça e Racismo: questões conceituais e agendas de pesquisa”. "Foi expressiva a receptividade de professores, pesquisadores, estudantes e profissionais de mercado. Ao final de cada edição, perguntamos aos participantes quais outros cursos poderiam ser oferecidos e, com isso, já temos uma lista de possíveis temas a serem abordados. Para 2022, pretendemos oferecer cursos em diferentes formatos e com temas mais diversificados", antecipa a professora Nair.

PREMIAÇÕES
Coordenado pela Diretoria Cultural da Intercom, o Prêmio Luiz Beltrão de Ciências da Comunicação reconheceu o trabalho da Associação Ibero-americana de Comunicação (Assibercom), na categoria Instituição Paradigmática; do GP Telejornalismo da Intercom, na categoria Grupo Emergente; do professor e pesquisador Luiz Artur Ferraretto (UFRGS), como Maturidade Acadêmica; e do professor e pesquisador Rafael do Nascimento Grohmann (Unisinos), como Liderança Emergente. O Troféu José Marques de Melo – Maturidade Acadêmica Regional foi para a professora Aline Grego (Unicap).

Além disso, a Intercom reconheceu os melhores trabalhos apresentados no congresso nacional de 2020 com os prêmios estudantis Vera Giangrande (iniciação científica), Francisco Morel (mestrado) e Freitas Nobre (doutorado). Confira todos os vencedores aqui. Alguns dos autores e autoras participaram da terceira temporada das Lives Cátedra Intercom, que também teve a participação dos contemplados pelo Prêmio Luiz Beltrão 2021.

PUBLICAÇÕES
Além da INTERCOM – Revista Brasileira de Ciências da Comunicação (RBCC), revista quadrimestral e com submissões em fluxo contínuo, e da Revista Brasileira de Iniciação Científica em Comunicação (IniciaCom), voltada exclusivamente para autores e autoras no nível da graduação, agora a Intercom publica a INSÓLITA – Revista Brasileira de Estudos Interdisciplinares do Insólito, da Fantasia e do Imaginário. Com periodicidade semestral, o novo título é publicado em parceria com o Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade Anhembi Morumbi (PPGCOM-UAM) e editado pelo Grupo de Pesquisa Estudos do Horror e do Insólito na Comunicação.

O braço editorial da Intercom também promoveu o Publicom 2021, com o lançamento de 82 títulos durante o congresso nacional. Selecionados via chamada pública, os lançamentos incluíram seis títulos com o selo Intercom: "Comunicação e culturas urbanas: temas, debates e perspectivas", organizado por Simone Luci Pereira, Thiago Tavares das Neves e Fernanda Elouise Budag; "Comunicação para a cidadania: 30 anos em luta e construção coletiva" (Intercom/Genio Editorial), organizado por Denise Teresinha da Silva, Pablo Nabarrete Bastos, Rozinaldo Antonio Miani e Suelen de Aguiar Silva; "Comunicação, mídias e liberdade de expressão no século XXI: modos censórios, resistências e debates emergentes" (Intercom/Genio Editorial), com organização de Nara Lya Cabral Scabin e Andrea Limberto Leite; "Resistências Compartilhadas: comunicação, liberdade e cidadania" (Intercom/Genio Editorial), resultado da segunda temporada das Lives Cátedra Intercom; "Um mundo e muitas vozes: da utopia à distopia? Olhares de jovens pesquisadores", organizado por Sônia Caldas Pessoa, Nair Prata e Flávio Santana; e "Um mundo e muitas vozes: da utopia à distopia?", com organização de Nair Prata, Sônia Caldas Pessoa e Ivanise Hilbig Andrade.

Estes e outros títulos podem ser baixados gratuitamente no Portcom – Portal de Livre Acesso à Produção em Ciências da Comunicação.

REORGANIZAÇÃO DOS GPs

A Intercom deu, em 2021, um importante passo para a atualização de seu braço científico, com o lançamento da chamada à proposição de Grupos de Pesquisa (GPs), considerados o coração da entidade. "A chamada foi resultado de um processo de três anos, que envolveu o estudo dos GPs da Intercom e a avaliação de grupos de entidades científicas tanto do campo da Comunicação como de outras áreas", lembra a professora Nair Prata, acrescentando que o objetivo foi "aumentar ainda mais a pluralidade de áreas e a diversidade de pesquisadores no ecossistema da Intercom, a partir das propostas enviadas pelos próprios pesquisadores".

"Tivemos uma grande receptividade e recebemos propostas de várias áreas. A Comissão já iniciou o trabalho de avaliação das proposições de acordo com as regras da chamada e, até fevereiro, o resultado será divulgado. Nossa expectativa é que, a partir de 2022, os novos GPs da Intercom tragam ainda mais qualidade e vitalidade para a pesquisa em Comunicação do país", conclui a diretora Científica.

APOIO À INTERNACIONALIZAÇÃO

A Diretoria de Relações Internacionais da Intercom, comandada pelo professor Edgard Rebouças (Ufes), começou o ano abrindo um espaço para que a comunidade acadêmica e científica da Comunicação compartilhasse suas demandas e expectativas em relação à internacionalização de suas pesquisas e carreiras. A partir das respostas ao questionário on-line, a Diretoria pôde identificar os principais gargalos nesse sentido e tem buscado iniciativas que ajudem pesquisadores e pesquisadoras.

O primeiro ponto abordado foi o domínio da língua inglesa, essencial para que mais trabalhos possam ser submetidos a eventos e periódicos internacionais, além de viabilizar intercâmbios e oportunidades de bolsa. Assim, a Intercom anunciou em dezembro a assinatura de um convênio com as escolas de idiomas CCAA das cidades de Vitória e Vila Velha, no Espírito Santo, para oferecer descontos de 25% ou 60% nas mensalidades de cursos de inglês on-line a associados e associadas da entidade. Saiba mais na matéria do Jornal Intercom sobre a iniciativa.

EVENTO HÍBRIDO

Com a cobertura vacinal ampliada no segundo semestre, a Intercom e o Centro de Pesquisa e Formação do Sesc-SP puderam realizar a oitava edição da Conferência do Pensamento Comunicacional Brasileiro (Pensacom Brasil 2021) em formato híbrido, com colóquios presenciais para convidados e sessões virtuais dos Grupos de Trabalho e de lançamento de livros.

"Avaliamos muito positivamente este formato, que se mostrou dinâmico e qualificado do ponto de vista científico", diz a professora Nair Prata, ressaltando que cerca de 80 trabalhos foram apresentados neste ano. "Apesar da avaliação positiva, torcemos para que em 2022 as condições permitam a realização do Pensacom totalmente presencial, de modo que possamos nos encontrar e realizar as partilhas face a face."

Confira a matéria do Jornal Intercom sobre o Pensacom Brasil 2021

intercom BRIGADEIRO

SÃO PAULO - SP
(11) 3892 7557
AV. BRIG. LUIS ANTÔNIO, 2.050 - CONJ. 36- BELA VISTA
SECRETARIA@INTERCOM.ORG.BR



Horário de atendimento:
Segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13 às 17h




Desenvolvido por Kirc Digital - www.kirc.com.br